28 janeiro, 2013

Mais Pesado Que o Céu, Charles R. Cross


Mais Pesado Que o Céu tem histórias tão bonitas comigo, mas acho que talvez todas sejam cômicas demais para que eu as conte por aqui, então consequentemente a resenha de hoje de fato, terá mesmo tudo para ser uma resenha. hahah Ou não, porque confesso que posso fracassar facilmente ao fazer tal coisa sobre uma biografia e, mais ainda em uma situação assim, em uma biografia assim, de alguém que admiro desde os meus quatorze. Isso me é acima de tudo, um desafio.



Sinopse: Biografia completa do líder da banda Nirvana, responsável por colocar Seattle no cenário do rock internacional. A pesquisa do jornalista Charles R. Cross durou quatro anos. Foram mais de quatrocentas entrevistas e livre acesso a diários, letras e fotos do cantor. Ele reconstitui a infância de Cobain, que vivia num trailer com a família, a ascensão meteórica e sua conturbada relação com Courtney Love, entre outros detalhes.




O livro é prazerosamente grosso, e a capa - que mesmo em preto e branco, e consequentemente sem mostrar o demasiado azul dos olhos de Kurt - é incrível. E enquanto eu o lia acabei me lembrando de um dos contos da Clarice Lispector. Achei que devia postar ao menos um trechinho dele por aqui, e foi o que fiz:
"Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o. Li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteira, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abri-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim. Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar... Havia orgulho em mim. Eu era uma rainha delicada.
Ás vezes sentava-me na rede, balançado-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.
Não era mais uma menina com um livro: Era uma mulher com seu amante."
Em capítulos que evoluem em ordem cronológica, o autor, Cross, traça a vida de Kurt desde a sua infância quando ele ainda morava no interior de um trailer numa cidade "perdida" do estado de Washington até a conquista da fama, do sucesso, e da demasiada adoração de toda uma legião de fãs.
Nele, é revelado também, muitos dramas familiares que influenciaram na incrível criatividade musical dele, a história da geração que moldou todo o seu caráter e extrema sensibilidade, detalhes do vício pela heroína, os planos suicidas e o seu estranho caso de amor com Courtney Love.
"Kurt e Courtney Love se entrelharam pela primeira vez às onze da noite de uma sexta-feira, 12 de janeiro de 1990, e em trinta segundos estavam se engalfinhando pelo chão. (...) Courtney estava usando um vestido branco com bolinhas vermelhas. "Você se parece com Dave Pirner", disse-lhe ela, dirigindo o comentário de modo a parecer um pequeno insulto, mas também um flerte. Kurt realmente se parecia um pouco com Pirner, o vocalista do Soul Asylum, já que seus cabelos estavam compridos e emaranhados —  ele o lavava apenas uma vez por semana, e somente com sabão em barra. — Kurt respondeu com o flerte que lhe era próprio: Agarrou Courtney e derrubou-a no chão".
Além disso Charles Cross revela fatos inéditos (ou quase isso) sobre a saúde do Kurt, toda a sua depressão, e seus últimos dias. E esse meu "amante" (-q) têm todo um diferencial das demais biografias que eu li sobre o Cobain, porque por mais que uma vez ou outra o autor tenha registrado o próprio ponto de vista exageradamente, no restante ele fez-se compensar com todas as fotos que colocou no decorrer das páginas e com certas suposições igualmente próprias, mas concordáveis. De modo que, por muitas vezes acabei emocionada e amargurada na mesma proporção.
"[...] toda vez que eu engolia um bocado de comida, sentia uma dor excruciante, ardente, nauseante na parte superior do meu estômago. Um balanço dos problemas de Kurt com drogas e estômago em seu diário".
E claro, apesar de eu ser toda elogios para com o livro preciso assegurar que há/houve muitos leitores que o criticam/criticaram. E creio eu, que tudo seja apenas uma consequência da surpresa que ele nos passa ao narrar atos inacreditáveis do Kurt. 
Alguns discordáveis demais, outros incompreensíveis.
"Suas habilidades  para desenhar eram exemplares, mas sua mente distorcida era o que chamava atenção de seus colegas. "Aquele esperma foi um choque para todos nós", lembra a colega Theresa Van Camp. "Era uma atitude mental muito diferente. As pessoas começaram a falar sobre ele, perguntando: 'O que ele pensa?'."
Acrescento, que esse pode ser um livro daqueles em que se você o lê acaba mudando como pessoa, ou melhor, psicologicamente. O recomendaria então para quem é fã, e (por que não?) para todo o resto também.

Editora: Globo Editora
Ano: 2002
Páginas: 450
Nota: ♥ ♥ ♥  

7 comentários:

  1. Gosto muito do Kurt. Além da voz dele ter sido perfeita,o que se passava pela cabeça dele é algo tão quase indecifrável.Nunca li uma biografia mas tenho bastante vontade de ler.
    Beijo pra ti!

    _______________________________________
    http://sentindomais.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível não concordar contigo. hahah
      Beijo ♥

      Dri

      Excluir
  2. Eu quero muito ler este livro. Gosto muito de Nirvana e do Kurt é claro xD
    Pena que ele já se foi e de uma maneira trágica (Sim, eu demorei muito tempo pra conseguir olhar as fotos dele morto)
    Parabéns pela resenha =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! ♥
      Ah, e você faz mesmo bem em o querer tanto. hahah Vale a pena.
      E... sabe, eu também sou/serei sempre assim em relação as fotos dele.
      É tanto isso que acabo toda angustiada quando em meio ao impulso, seleciono-as para ver. ):

      Dri.

      Excluir
  3. Nosssa! Eu quero ler esse livro há anos! Belo post! =)

    Fernanda,
    http://admiravelmundonovoh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Á anos?
      Se você quiser eu o envio pra ti por e-mail, anjo. É só dizer!
      Ah, e obrigada!

      Excluir
  4. Não sou muito fã do Kurt, então não sei se compraria o livro.
    Mas acredito que para fãs de verdade deve ser um livro muito bom e desejado.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gostou? Concorda/discorda? Diga-nos o motivo. Rs.